A Pele é o maior órgão do nosso corpo, que tem uma função essencialmente protectora e reguladora.

A superfície da pele é permanentemente habitada por milhões de micróbios por centímetro quadrado, sobretudo bactérias e fungos microscópicos que encontram na superfície da pele condições favoráveis para se alimentarem e sobreviverem. Contudo, em condições normais, são microorganismos não patogénicos, ou seja, a sua existência acaba por ser benéfica, já que impedem a união e aglomeração de outros microorganismos perigosos.

No entanto, esta função defensiva apenas é eficaz quando se procede a uma limpeza regular da pele, de modo a eliminar as impurezas e os resíduos, sem contudo exagerar na repetição das lavagens, nem utilizar produtos muito nocivos ou agressivos, pois podem deteriorar a camada protectora. (in, Medipedia, Conteúdos e Serviços de Saúde).

Ao fazermos a nossa higiene diária, o uso de sabonetes anti-bacterianos (marcas como: Detox, Palmolive, Lux, etc) já fazem parte da rotina de higiene de muita gente.

No entanto, para os médicos, pessoas saudáveis não deveriam fazer uso deste tipo de sabonete, uma vez que o uso excessivo desses produtos pode ser prejudicial, para a nossa saúde, embora os fabricantes garantam sua segurança e eficácia, como forma de vender e fazer marketing.

De acordo com alguns estudos, cerca de 30% dos sabonetes em barras usam uma substância química chamada Triclosan como ingrediente activo, a qual está na categoria das drogas e foi originalmente usada estritamente em ambientes hospitalares (o Triclosan é também usado em pastas de dentes, toalhetes e outros produtos para higiene).

De acordo com alguns especialistas, os sabonetes anti-bacterianos só devem ser usados em locais em que haja risco maior de contaminação, como hospitais, ou em casos de pacientes que sofrem de infecções de pele.

Em casa, para uma pessoa saudável, água e um sabonete caseiro são o suficiente, pois estes sabonetes são, por si só, antissépticos (anti-bacteriano), não sendo necessário acrescentar nenhum princípio activo para matar bactérias.

Para além disso, é necessário perceber que no nosso organismo há dois tipos de bactérias: as patogénicas, que causam doenças, e as não-patogénicas ou neutras. As últimas não fazem qualquer mal e até ajudam no equilíbrio das funções do nosso corpo. Agem, por exemplo, na síntese de vitaminas e no funcionamento do intestino. Na pele, protegem o organismo contra a invasão de germes nocivos, causadores de infecções e outras doenças.

Como os sabonetes anti-bacterianos matam tanto as bactérias más, como as consideradas boas, causam assim um desequilíbrio da colonização bacteriana da nossa epiderme, deixando-nos mais vulneráveis a doenças e infecções.

Abaixo listamos alguns dos efeitos do Triclosan na nossa pele e na nossa saúde:

Bactérias resistentes a antibióticos em ascensão

Uma vez que os produtos anti-bacterianos eliminam todos os germes, mesmo os bons germes, passa a ser difícil a nossa pele ter resistência natural à novas bactérias, o que pode resultar em novas ameaças para a nossa saúde. Muitos especialistas em dermatologia acreditam que os produtos anti-bacterianos abrem porta para novos tipos de bactérias que surgem e que são resistentes a certos medicamentos, especificamente os antibióticos. Estas novas super-bactérias são um perigo para a saúde pública.

Aumento das alergias e secura da pele

Uma das principais razões pela qual os pais usam produtos anti-bacterianos, é proteger os seus filhos, em grande parte graças às campanhas de publicidade sobre este tipo de sabonetes. No entanto, ao usarmos este tipo de sabonetes, podemos estar a causar mais mal do que bem – o Triclosan tem sido associado ao aumento de alergias em crianças, uma vez que a exposição reduzida a bactérias pode afectar o desenvolvimento do sistema imunológico das crianças, tornando-os mais susceptíveis a certas alergias. Usar regularmente sabonetes anti-bacterianos pode, de facto, causar alergias e alterar o PH natural da pele, causando pele seca e agravando assim problemas na nossa epiderme.

Sabonetes anti-bacterianos são menos saudáveis e eficazes do que os sabonetes caseiros

Os sabonetes caseiros, como não são de produção industrial, são feitos à base de produtos naturais e óleos essenciais benéficos à pele, como é o caso do óleo de coco, óleo de azeite e de oliva, entre outros. Muitos destes sabonetes não usam a famosa glicerina, que ao longo dos tempos foi sendo adulterada deixando de ser naturalmente saudável, como originalmente foi criada.

Fonte: Notícias Naturais

—-

A Loja INDIKA possui uma gama de Sabonetes Caseiros, feitos a base de produtos 100% naturais. Clique AQUI!